Barbie: a nova geração

Em 28.01.2016   Arquivado em Moda, Mudança, Revistas

Barbie, a boneca mais vendida e mais popular de todos os tempos, está de cara nova. Aliás, caras e corpos novos. A novidade foi a capa da revista americana Time desta semana, publicada hoje.

Barbie Time

Depois de anos de controvérsias e debates sobre sua silhueta inatingível e irreal, seu ideal de beleza centrado em único padrão, e de quedas nas vendas, a Mattel, fabricante da Barbie, decidiu democratizar e expandir o visual da boneca.

Barbies

Eis o resultado, uma nova coleção em que as bonecas se dividem em 3 grupos principais: petite (“baixinha”, em tradução livre), curvy (curvilínea) e tall (alta). Elas ganharam novos tons de pele, cores e cortes de cabelo, alturas, e tipos de corpo.

A proposta é encorajar as meninas a se amarem independente de qualquer padrão de beleza, aumentando sua autoestima e também a tolerância ao que é diferente. Claro, a Mattel também espera conquistar pais e mães, e ter uma melhoria expressiva nas vendas da boneca.

Barbies 02

Golden Globes 2016: o tapete vermelho

Em 10.01.2016   Arquivado em Moda

Mais um Globo de Ouro chegou e com ele as celebs que escolheram a dedo seus looks para atravessarem o tapete vermelho. Confira as tendências deste ano!

As do pretinho nada básico:

Julia Louis Dreyfus, de Lanvin

Kirsten Dunst, de Valentino

Lady Gaga, de Versace

Stephanie Bauer

Sophia Bush, Narcisco Rodriguez

Emilia Clarke, de Valentino Haute Couture

As de branco:

Taraji P. Henson, de Stella McCartney

Saoirse Ronan, de Yves Saint Laurent Couture by Hedi Slimane

Maria Menounos

Eva Longoria, de Georges Hobeika

Jane Fonda, de Yves Saint Laurent Couture by Hedi Slimane

Alicia Vikander, de Louis Vuitton

Cate Blanchett, de Givenchy Haute Couture by Ricardo Tisci

Melissa Benoist, de Monique Lhuillier

Lily James, de Marchesa

As prateadas:

Debbie Matenopoulos

Jane Wu

Portia Doubleday, de Naeem Khan

Viola Davis, de Marchesa

Do dourado, passando pelo nude ao rosa:

Rosie Huntington Witheley, de Atelier Versace

Brie Larson, de Calvin Klein

Eva Green, de Elie Saab

Amanda Peet, de Alexander McQueen

Rooney Mara, de Alexander McQueen

Kate Hudson, de Michael Kors Collection

Leslie Mann, de Monique Lhuillier

Katy Perry, de Prada

Cinquenta tons de azul:

Jennifer Jason Leigh, de Roland Mouret

Malin Akerman, de Reem Acra

Sarah Hay, de Marchesa

Joanne Froggatt, de Reem Acra

Queen Latifah, de Badgley Mischka

Barbara Meier

Kate Winslet, de Ralph Lauren Collection

Julianne Moore, de Tom Ford

Jenna Dewan-Tatum, de Zuhair Murad

Bryce Dallas Howard, de Jenny Packham

Melissa McCarthy, de Kimberly McDonald

As marsala:

Felicity Huffman, de Lorena Sarbu

Olivia Wilde, de Michael Kors Collection

Zendaya Coleman, de Marchesa

As damas de vermelho:

Emmy Rossum, de Armani Privé

Natalie Dormer, de J. Mendel

Jennifer Lawrence, de Dior Haute Couture

Tara Lynne Barr, de Cristina Ottaviano

As solares de laranja e amarelo:

Amy Adams, de Atelier Versace

Giuliana Rancic, de Alex Perry

America Ferrera, de Jenny Packham

Jennifer Lopez, de Giambattista Valli

As one of a kind:

Calista Flockhart, de Andrew Gn

Maggie Gyllenhaal, de Marc Jacobs

Amy Schumer, de Prabal Gurung

Maura Tierney, de Elizabeth Kennedy

Heidi Klum, de Marchesa

Kate Bosworth, de Dolce & Gabbana

Olivia Palermo, de Delpozo

Rachel McAdams, de Lanvin

Jaimie Alexander, de Genny

Jada Pinkett Smith, de Versace

Você é o que você come

Em 08.01.2016   Arquivado em Alimentação, Mudança, Vida Saudável

Café da manhã musli

Eu tava querendo começar a falar sobre alimentação aqui no blog, sem saber muito bem por onde começar. Bom, então resolvi falar sobre memória afetiva e hábitos. Pode parecer que não tem nada a ver uma coisa com a outra, mas, bom, tem.

Quando comecei minha reeducação alimentar, percebi que a gente não recebe uma educação alimentar formal nunca. O que temos é uma memória afetiva da nossa alimentação ao longo da vida, e criamos hábitos de ir comendo determinadas coisas, geralmente porque elas são gostosas, práticas, impostas a nós (por pai, mãe, avó, merenda escolar, refeitório do trabalho), ou por alguma dieta em particular.

O fato é que a gente vai escolhendo nossos pratos favoritos baseados unicamente no paladar. Se aquela comida nos dá prazer em comer, vira figurinha fácil no nosso cardápio. Algumas estão presentes no dia a dia porque “todo mundo” ou “qualquer pessoa normal” também consome: feijão, arroz, carne, leite…

Marcas da indústria alimentícia também ganham nossa confiança assim, pela memória afetiva. Elas estão ali, nas gôndolas do supermercado desde que íamos, criancinhas, fazer compras com as nossas mães do lado. Sempre estiveram nos comerciais que passam nas nossas TVs. Essas marcas devem ser do bem, certo? Bem, nem sempre, ou não de todo, ou nem um pouco.

A gente não costuma pensar na nossa alimentação nem considerar que a finalidade dela, mais do que nos dar prazer, é nos fornecer os nutrientes adequados para nos mantermos vivos e saudáveis. Afinal, isso parece uma chatice ou coisa de gente bitolada, bombada, metida a fitness, como uma moda passageira.

É até vermos o impacto de uma alimentação errada no nosso corpo que a coisa muda de figura. Comigo foi assim. Eu ganhei uns 5 quilos em mais ou menos 1 ano, tava comendo só coisas sem nutriente nenhum, mas que qualquer criança consideraria um paraíso: tome-lhe pastel, pizza, sorvete, chocolate, batata frita, coxinha, tortas recheadas e afins pra dentro. O motivo? Nada em especial, além do fato de que eu gosto dessas coisas e de que a vida é curta, vamos aproveitar então! Só que, além do ganho de peso (que, francamente, não me incomodou muito porque sempre fui magra), apareceu um probleminha de saúde no meio. E aí? Hora de mudar.

Aí, com a ajuda do amado Snapchat, fui conhecendo algumas nutricionistas Mara (olha eu aqui, usando meu nome como gíria também, kkk), como a Luna Azevedo e a Bruna Vilela, profissionais que dão dicas incríveis que orientam a tal da educação alimentar que eu comentei que a gente nunca recebe formalmente na vida.

Muito além de contar calorias como quem está louca pra emagrecer e fim, comecei a comer comida de verdade, a deixar boa parte da comida industrializada para trás e a ler os rótulos para entender o que eu estou colocando para dentro do meu corpo. Afinal, a gente é o que a gente come. Sem neura, sem pressão externa, fiz e faço isso por mim e pela minha saúde e vontade de viver muito e bem. A decisão veio naturalmente, e acredito que cada um pode ter um momento na vida em que isso acontece, é tudo uma questão de escolha. Faça a sua, e se você embarcar no trem da comida de verdade, seja muito, mas muito bem-vind@ a esta aventura de criar novos hábitos, comprar de novas marcas, e descobrir novos e surpreendentes sabores!

Balmain Primavera/Verão: Claudia, Cindy e Naomi

Em 07.01.2016   Arquivado em Moda

Balmain SS 2016 01

A Balmain resolveu trazer o glamour da moda dos anos 90 para sua campanha spring/summer 2016. Nada mais, nada menos que Claudia Schiffer, Cindy Crawford e Naomi Campbell, as 3 supermodelos ícones de uma geração, estrelam a campanha, fotografada por Steven Klein.
Olivier Rousteing, da Balmain, aparece em imagens do backstage, publicadas pela Vogue.

Vogue UK de fevereiro

Em 05.01.2016   Arquivado em Moda, Revistas

A atriz Dakota Johnson surge na capa e recheio da Vogue UK de fevereiro. As imagens são de Alasdair McLellan.

Página 1 de 212